Quando procurar um sexólogo?

Diferentes questões tanto físicas quanto psicológicas pode estar atreladas ao sexo. Nestes momentos pode surgir a dúvida em relação a qual profissional procurar para lidar com essas questões. Uma alternativa pode ser contar com o auxílio de um sexólogo.

O sexólogo é um profissional que está capacitado a acompanhar qualquer questão relacionada ao sexo, como por exemplo falta de desejo, disfunção erétil, dificuldade em atingir o orgasmo e vaginismo, entre outras. Ele também pode ser consultado para esclarecer somente algumas questões pontuais, bloqueios ou tirar dúvidas, sem a necessidade de um acompanhamento muito longo.

Mas quem é o sexólogo? É um profissional da área de saúde que cursou uma especialização em sexologia, que é o estudo das questões relacionadas às disfunções e aos comportamentos sexuais humanos. É importante ressaltar que essa especialização pode ser feita por médicos (em geral ginecologistas, urologistas e psiquiatras) e psicólogos.

No campo de atuação, a diferença entre esses profissionais é que um médico sexólogo está habilitado a trabalhar com questões físicas, como disfunção erétil e problemas relacionados a questões hormonais por exemplo. Um médico sexólogo é capaz de examinar seus pacientes e indicar exames e tratamentos medicamentosos e, em certos casos, cirúrgicos.

Já o psicólogo trabalha com as questões emocionais relacionadas ao sexo (como bloqueios ou traumas), consequências emocionais de problemas físicos (infertilidade, disfunção e etc), orientação sexual, questões de identidade e de gênero, transição de gênero e sexualidade dos casais.

No trabalho de orientação sexual, o sexólogo desempenha um papel preventivo, esclarecendo as dúvidas dos jovens sobre temas de extrema importância, como a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), uso de preservativos e outros métodos seguros para evitar uma gravidez precoce.
Em quais questões o sexólogo pode ajudar?

Independentemente da fase de vida, esse profissional deve ser procurado sempre que houver um problema físico, uma insatisfação ou qualquer questão relativa ao sexo. Os principais motivos que levam as pessoas a procurar o profissional são:
Falta de sexo no relacionamento:

Pode estar relacionado com a perda de admiração, uma traição do passado, a falta de atenção do parceiro, diferenças de expectativa, nascimento do filho e etc. Geralmente essa dificuldade não está diretamente relacionada com o sexo em si, é apenas a forma de sinalizar que algo não vai bem. Nesse caso é indicada a terapia de casal para trabalhar a questão que está por trás desse problema.
Homens insatisfeitos com a sua performance sexual:

Hoje vivemos sob muita cobrança em diversos setores da vida, e com o sexo não poderia ser diferente. Com a facilidade e velocidade dos encontros, as pessoas têm-se cobrado para sempre oferecer o máximo e o melhor de si para conquistar o outro e passar uma boa imagem. Nesse caso são trabalhadas a autoestima, preocupação com a imagem, cobrança e outras características pessoais que contribuem de forma negativa para essa questão.
Mulheres com falta de desejo:

Em primeiro lugar são investigadas as causas físicas do problema. No caso do desejo feminino, primeiro é trabalhado com o médico se não é uma questão física. Excluindo essa hipótese, é trabalhado em terapia a auto estima, a relação com o sexo, o estado emocional e outras questões psicológicas que levam ao problema.

Preocupação com a quantidade e qualidade das relações:

Como dito anteriormente, hoje há uma grande preocupação com a imagem e com resultados que levam a grande insatisfação sexual. Nesse caso, é trabalhado que cada casal deve encontrar o seu ritmo e nível de satisfação, sem comparações com outros ou expectativas às vezes irreais.
Dificuldade de ereção:

Como toda questão física, em primeiro lugar um médico deve ser consultado para que sejam investigadas todas as possíveis causas físicas. Caso esteja tudo bem, cabe então ao psicólogo trabalhar as questões emocionais que podem estar relacionadas, como por exemplo controle, pressão, ansiedade, estresse, depressão ou cobrança pessoal.
Como é uma consulta com uma sexólogo?

A consulta pode ser realizada tanto individualmente quanto em casal e inicia com uma anamnese, que é a coleta de informações e dados referentes ao paciente e ao problema. É importante que a pessoa fique bem à vontade e fale tudo o que está acontecendo, consciente que o profissional não irá julga-lo. Em seguida, o profissional conversa sobre a questão apresentada, pede exames se necessário, e combina como será feito o tratamento, os pontos a serem trabalhados e explica como serão os próximos passos. A duração do tratamento vai depender do caso, alguns precisam de apenas 1 ou 2 sessões e outros de alguns meses.

Existe também a possibilidade de participar de grupos de terapia voltados às questões relativas ao sexo e a sexualidade. Infelizmente a grande maioria dos profissionais atende de forma particular ou através de convênios, pois o Sistema Único de Saúde (SUS) não oferece especificamente o serviço de sexologia. No sistema público para as questões físicas você pode procurar um ginecologista ou urologista, clinico geral ou profissionais de psicologia envolvidos no Programa Saúde da Família (PSF).

Como em todas as profissões, é importante ficar atento a qualidade do profissional e buscar pessoas que trabalhem com seriedade, delicadeza, respeito e sem preconceitos de qualquer tipo. Tome cuidado pois o sexólogo não realiza terapias corporais e não tem contato físico ou íntimo com o paciente. A única exceção é se o médico precisar examinar clinicamente o paciente.

Caso você esteja passando por alguma dificuldade ou dúvida na esfera sexual, procure ajuda. É importante entender que esse gesto não representa nenhuma fraqueza ou motivo de vergonha e conversar com um profissional é muito diferente de procurar respostas na internet ou com amigos, pois cada questão é única e o que acontece com você pode ser bem diferente do que acontece com o seu colega.

2 respostas

Deixe uma resposta

Deseja participar da discussão?
Fique á vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *