A diferença de idade no relacionamento

Apesar da novela “Viver a Vida” apresentar como tema central o romance de um homem com uma mulher mais jovem, a diferença de idade nos relacionamentos ainda não é bem vista e aceita pela sociedade. Talvez pelo tema ainda ser polêmico é que ele ganhou destaque no horário nobre da televisão.

Quando nascemos a sociedade de um modo geral já tem planos e expectativas com relação ao nosso futuro, e conforme vamos crescendo somos automaticamente “guiados” pelo caminho que nos foi traçado. O único problema disso é que raramente nos perguntam o que queremos da vida, e esperamos para o futuro. É por esse motivo que quando nos relacionamentos com alguém que “foge do padrão” que nos foi determinado somos duramente repreendidos e discriminados.

Preconceitos maiores sofrem as mulheres que se relacionam com homens mais jovens. Além delas terem que lidar com os problemas comuns a qualquer relacionamento, têm que superar o preconceito dos amigos e até da própria família. Para muitas não é fácil enfrentar todos e assumir o relacionamento. Há casos em que ter que superar preconceitos une ainda mais o casal.

O comentário mais comum que se ouve a respeito da diferença de idade no relacionamento é o clássico: “Esse relacionamento é puro interesse.” Mas eu concordo com essa frase. É puro interesse sim. Interesse no amor, carinho, compreensão e afeto que o outro pode lhe proporcionar.

Interesse não é somente financeiro. Todo relacionamento, seja entre pessoas do mesmo sexo, de sexo diferente, jovens, idosas, brasileiras ou estrangeiras é baseado no interesse. Só nos “interessamos” por alguém que tem algo a nos oferecer, e esse “algo” pode ser amor, dinheiro, segurança, companheirismo, respeito, compreensão e etc. Então todo relacionamento é uma troca de interesses, já que a outra pessoa também tem interesse em você.

Com relação ao interesse financeiro o preconceito faz com que as pessoas acreditem que ele está presente somente quando há uma grande diferença de idade no relacionamento. Essa crença é errônea porque há muitas mulheres de 40 interessadas somente no dinheiro de homens de 40, homens de 25 interessados no status e na boa vida de mulheres e 25 e etc.

Outro mito a ser superado nessas relações é o de depois de certa idade as pessoas não são mais capazes de despertar a paixão nos outros e nem de iniciar um novo relacionamento.

Culturalmente por volta dos 18/20 somos “forçados” a começar a busca pelo parceiro (a) ideal, no mais tardar até os 30 anos deve ocorrer o casamento e depois dos 35 morremos como homem e mulher para viver como pai e mãe em período integral. Os casamentos devem ser preservados mesmo que um não mais suporte o outro. É por esse motivo que todos apontam o dedo para aqueles que escolhem ser felizes independentemente da idade e da fase de vida em que deveriam estar.

Na vida o importante é ser feliz e se sentir bem, sem se importar com o que vão falar, ou pensar de você. Procure agradar em primeiro lugar a si mesmo, porque se você se importar somente com os outro terá vivido outra vida e não a sua.